Quando você assiste a um filme da Disney, que se passa sempre na Idade Média, como Cinderela ou Branca de Neve, pensa que não existe mais esse tipo de cidade, até que vai a Bruges. Uma cidadezinha no interior da Bélgica que realmente encanta! E no estilo DINK de ser, nada melhor do que um destino super romântico, regado às melhores cervejas e chocolates do mundo.

Fomos a Bruges no mês de agosto, considerado verão na Europa, mas pra nós, brasileiros natos, estava bem friozinho, por volta de uns 17 graus. Dormimos somente uma noite, mas é o ideal pra conhecer bem a cidade, geralmente o que os turistas fazem é uma paradinha no roteiro, entre a França e a Holanda.

BrugesCity44a

Chegamos de tarde, passeamos pelas ruelas da cidade, banhada por canais, dava pra sentir o cheiro do chocolate que vinha das inúmeras lojinhas charmosas. No centro histórico há uma torre, bem alta, 366 degraus a pé, subimos e lá em cima foi compensador, uma vista espetacular da cidade. Visitamos a Igreja de Nossa Senhora, que também é lindíssima, e tem a obra Madonna de mármore de Michelangelo.

297706_254822471206176_8221464_n

Jantamos ali no centrinho mesmo “Belfry Markt”, onde tem diversas opções de restaurantes super gostosos, um do lado do outro, tomamos uma cerveja e comemos o tradicional “moules-frites”, mexilhão com fritas.

Dica: “Cuidado” quando for pedir a sua cerveja, chegamos loucos para experimentar uma boa cerveja belga então pedi logo “the big one”, achando que viria algo como 500 ml, mas não, veio um canecão com dois litros de chopp.

319621_254823461206077_1396191_n

Dali do restaurante já emendamos em uma baladinha perto, um pessoal mais novo,  universitários, mas como não perdemos uma farra, ficamos por lá mesmo. Tocou todo tipo de música, inclusive umas brasileiras, de axé bem antigos, os gringos dançando eram muito engraçados.

Tudo ia super bem até que um gringo belga de uns 2 metros de altura resolveu implicar com o Murilo, esbarrou, jogou a bebida dele no chão e gritou várias coisas em Holandês. Ficamos assustados e resolvemos ir embora. Saímos andando entre as ruazinhas de Bruges, e estava tudo deserto, fomos caminhando, meio apreensivos, até que, avistamos um táxi, uma benção. Assim, conseguimos chegar no  hotel.

Dica: tenha sempre o cartão do seu hotel no seu bolso, muitas vezes os taxistas não falam inglês e essa é a única forma de comunicação.

No dia seguinte, acordamos mais tranquilos e fomos dar uma volta pelo Lago do amor,  a vista era simplesmente exuberante. Murilo fez a surpresa mais linda: de repente tirou do bolso uma caixinha com um lindo anel dentro, que eu já tinha visto no dia anterior. Ele disse que depois de todo o sufoco que passamos, eu merecia um mimo. Aiiii como eu amo meu marido! Agora me diz: Bruges é ou não é mesmo uma cidade de conto de fadas???

Como chegar

Fui de carro alugado desde Paris, são 300km de distância só, e, de lá, segui viagem para Amsterdã, mais 270km.

Também há a possibilidade de ir de trem de alta velocidade e de empresa de ônibus, num bate e volta de Paris.

Onde ficar

Como eu e o marido gostamos mesmo é do velho “bom, bonito e barato”, ficamos no Ibis Brugge Centrum, ótimo custo e benefício e sem surpresa, a localização é excelente. Faz-se tudo a pé, super fácil e tranquilo. Já para quem pode investir um pouco mais, afinal de contas tem “renda dupla”, eu sugiro o Hotel Duke’s Palace Bruges, que é simplesmente um luxo.

Acredito que Bruges se encaixa bem no perfil de quem viaja sem crianças, pra curtir um passeio romântico, regado a bastante cerveja e chocolate. Espero que gostem das minhas aventuras e dicas de viagem! Curtam, comentem e compartilhem!!!

  • Gostou do post? Compartilhe!
  • Identificou algum amigo? Marque!
  • Tem alguma dúvida? Comente!
  • Conte a sua experiência!

Sou apaixonada por viagens, chopp, vinhos, restaurantes charmoso e tudo que seja muita curtição. Procuro sempre não julgar ninguém e respeitar as escolhas de cada um, afinal, pra mim, o que importa na vida é ser feliz.